Estratégia sideral

3 minutos de leitura

Do uso do aplicativo Zoom à aquisição de um satélite, a igreja está aberta a todos os meios que possam garantir a proclamação da sua mensagem ao mundo

Andrew McChesney

Diante do desafio e da urgência de pregar a última mensagem de advertência ao mundo, a igreja tem sonhado alto. E durante a reunião do 1º Conselho Mundial de Liderança da Igreja, realizado nesta semana, teve quem cogitasse até a aquisição de um satélite. Foto: NASA

O que você pensaria sobre a possibilidade de a igreja comprar um satélite para garantir que sua mensagem seja proclamada nos últimos dias? Sem dúvida, é sonhar bem alto.

Mas essa foi uma das ideias criativas sugeridas durante um momento de brainstorming na conferência que discutiu a implementação do plano quinquenal “I Will Go”. O 1º Conselho Mundial de Liderança da Igreja, realizado pelo aplicativo Zoom nos dias 9 e 10 de fevereiro, deu uma ênfase especial no fato de que inovação e criatividade, com o poder do Espírito Santo, são essenciais para o cumprimento da missão da igreja.

“Existem desafios inacreditáveis ??para o futuro”, enfatizou o pastor Ted Wilson, presidente da Igreja Adventista em nível mundial, no encontro virtual que reuniu 70 representantes da Associação Geral, das 13 Divisões, instituições educacionais e outras organizações administradas pela denominação. “Esta é uma oportunidade de ser criativo e permitir que o Espírito Santo forneça essa criatividade”, ele frisou.

Ao reafirmar o compromisso da igreja em proclamar as três mensagens angélicas (a última advertência de Deus ao mundo), o pastor Wilson defendeu que novos métodos são necessários para transmiti-la. “A mensagem não mudou, mas os métodos mudaram”, ele ressaltou.

O evangelista Mark Finley, assistente do presidente da Associação Geral, relembrou que a Igreja Adventista tem um chamado profético para compartilhar a mensagem de Apocalipse 14:6-12. “Os adventistas acreditam que Deus lhes confiou uma mensagem para os últimos dias que deve ser compartilhada com um mundo necessitado”, observou.

Conforme ele disse, essa mensagem é tão importante quanto a que foi pregada por Noé e João Batista. “João Batista foi levantado para preparar o mundo para a primeira vinda de Cristo. E nós temos a missão de preparar o mundo para a sua segunda vinda”, completou.

Os palestrantes falaram sobre novas oportunidades que surgiram em um mundo drasticamente alterado pela pandemia. Um dos exemplos citados foi a ferramenta Zoom. “Com a pandemia, vejam o que aconteceu com esse aplicativo”, disse em sua apresentação Geoffrey Mbwana, vice-presidente geral da igreja. “Costumávamos viajar, mas agora estamos percebendo que podemos fazer muito utilizando esse tipo de aplicativo”, comentou.

Por sua vez, Artur Stele, outro vice-presidente da sede mundial, chamou a atenção para o significativo número de pessoas que têm acompanhado conferências bíblicas virtuais. Ele comentou que, antes da pandemia, algumas reuniões evangelísticas presenciais reuniam milhares de pessoas, mas que o engajamento on-line em eventos como os que foram realizados recentemente pela Divisão Euroasiática e pela Divisão do Pacífico Sul-Asiático está sendo muito maior. “Isso nunca teria acontecido presencialmente”, ele acredita.

O pastor Stele, que proferiu uma palestra sobre o uso da internet e das mídias sociais na implementação do plano “I Will Go”, advogou que as plataformas virtuais parecem ser mais eficazes para proclamar o evangelho do que para nutrir a fé das pessoas, mas que ainda assim, elas também podem ajudar a cumprir esse segundo objetivo. Citando um exemplo, o pastor Stele mencionou que, recentemente, um membro da igreja do outro lado do mundo assistiu ao vídeo de um de seus sermões e depois fez contato com ele, agradecendo pela mensagem que lhe trouxe encorajamento em um momento de profundo desânimo.

NA AGENDA DA IGREJA

O tema da inovação e missão também direcionou a agenda de uma reunião de líderes mundiais da denominação realizada no ano passado na Cidade do Cabo (África do Sul). E, como resultado dessas reflexões, a igreja mundial está propondo a criação de um instituto focado em liderança, inovação e missão, que ofereceria treinamento para líderes de todo o mundo.

Durante o 1º Conselho Mundial de Liderança da Igreja, o pastor Ted Wilson informou que o projeto foi deixado de lado por causa da pandemia, mas que a intenção da Associação Geral é “compartilhar uma versão expandida sobre os planos de inovação nos próximos meses.”

PENSANDO FORA DA CAIXA

Em uma apresentação sobre inovação na conferência desta semana, Ray Wahlen, tesoureiro associado na sede mundial adventista, exortou os líderes a serem criativos e a irem além das ideias convencionais.

A mesma ênfase foi dada pelo pastor GT Ng, secretário executivo da igreja mundial. “Reciclamos as mesmas ideias repetidamente, mas precisamos pensar fora da caixa!”, ele sublinhou em um painel sobre o tema.

O secretário executivo ainda apresentou algumas ideias criativas que, na visão dele, poderiam ser consideradas pela igreja, incluindo a possibilidade até mesmo de adquirir um satélite, o que representaria uma “estratégia sideral” para uma missão que é global.

Para Hensley Moorooven, subsecretário da sede mundial, os líderes e membros da igreja podem ser flexíveis e criativos em relação às formas como o plano “I Will Go” será implementado. Usando a analogia de um mapa rodoviário, ele comparou a missão a um GPS. Para ele, não importa se faremos o trajeto de “carro, van, ônibus, bicicleta, avião, helicóptero ou a pé”. O importante é que todos cheguem ao destino final.

ANDREW MCCHESNEY é editor da Mission Quarterly

(Versão adaptada do texto publicado originalmente no site da Adventist Mission)

Última atualização em 12 de fevereiro de 2021 por Márcio Tonetti.

Sobre Da redação

Da redação
Equipe RA

Veja Também

Recuperação da aprendizagem

Professor compartilha anseios experimentados durante a quarentena e desafios das escolas no retorno às aulas presenciais.