Atenção

Igreja emite nota oficial sobre casamento gay nos EUA

1 minuto de leitura
Igreja se manifesta sobre decisão da Suprema Corte de legalizar o casamento gay nos Estados Unidos
Com 5 votos a favor e 4 contra, Suprema Corte dos EUA decide . Foto: Flickr
Com 5 votos a favor e 4 contra, Suprema Corte dos EUA decide legalizar o casamento gay em todo o país. Foto: Marcos Gomes / Flickr
Depois de uma votação acirrada, a Suprema Corte dos Estados Unidos legalizou na última sexta-feira, 26, a união entre pessoas do mesmo sexo em todo o território norte-americano. Foram 5 votos favoráveis e 4 contra. Com a decisão, o casamento gay passa a ser um direito constitucional nos Estados Unidos, o que obriga os 13 Estados que ainda proibiam as uniões entre homossexuais a reconhecê-las como prática legal. Em discurso, o presidente Barack Obama considerou a decisão “uma vitória para a América”. O secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), Ban Ki-moon, também parabenizou a medida histórica e disse que ela representa “um grande passo para os direitos humanos”.

Em comunicado oficial, a sede adventista nos Estados Unidos (Divisão Norte-Americana) reafirmou a posição da Igreja Adventista do Sétimo Dia quanto ao assunto. “Mesmo com a decisão da Suprema Corte, a Igreja Adventista mantém a sua crença fundamental de que o casamento foi divinamente estabelecido no Éden e confirmado por Jesus como união vitalícia entre um homem e uma mulher”.

A nota ressalta ainda que a igreja “continuará a ensinar e promover a crença do casamento entre um homem e uma mulher com base na Bíblia”.

O comunicado esclarece, no entanto, que a igreja respeita a opinião de quem pensa diferente e “acredita que todos os indivíduos, independentemente de raça, gênero e orientação sexual, são filhos de Deus e devem ser tratados com civilidade, compaixão e amor semelhante ao de Cristo”. [Equipe RA, da redação / Com informações da ANN e Estadão]

Veja outros materiais sobre o assunto

A posição adventista sobre a homossexualidade

 

Última atualização em 16 de outubro de 2017 por Márcio Tonetti.

Sobre Da redação

Da redação
Equipe RA

Veja Também

Nem só de pão

Os benefícios do jejum, que vão além dos aspectos espirituais e físicos, precisam ser redescobertos e reivindicados pelos cristãos.