Livro sobre Desmond Doss será tema de conversa ao vivo no Facebook

1 minuto de leitura
Editor de biografia publicada pela CPB irá falar sobre a obra e as crenças do paramédico adventista que lutou sem armas na II Guerra Mundial

IMG-20170123-WA0002A biografia do herói que inspirou o filme Até o Último Homem, longa-metragem dirigido por Mel Gibson que está previsto para ser lançado no Brasil no dia 26 de janeiro, será tema de uma conversa ao vivo pelo Facebook na próxima quarta-feira (25), a partir das 14h. O convidado será Vinícius Mendes, editor de Soldado Desarmado, livro recém-lançado pela Casa Publicadora Brasileira (CPB).

Além de trazer detalhes da vida do paramédico que fez história durante a II Guerra Mundial, Mendes irá falar sobre as crenças de Desmond e explicar como os adventistas entendem a questão da não combatência. A conversa com os internautas será mediada pelo jornalista Márcio Tonetti, editor associado da Revista Adventista.

Sinopse do livro

Publicada originalmente em inglês com o título Objector Conscientious, a obra Soldado Desarmado conta em detalhes a trajetória do homem que, por questão de princípios religiosos e consciência, se negou a pegar em armas para lutar na II Guerra Mundial.

A versão publicada pela CPB foi escrita por Frances M. Doss, esposa do paramédico norte-americano. Além de trazer memórias da infância de Desmond, a obra relata o ato heroico em Okinawa, no Japão, quando salvou 75 soldados feridos. O livro também retrata os desdobramentos da vida do personagem, como a perda da audição, o falecimento trágico da primeira esposa, Dorothy, e o recomeço da vida ao lado de Frances.

O adventista que se recusou a usar armas, mas agiu com bravura durante o conflito como ajudante médico, recebeu a mais elevada condecoração militar oferecida pelos Estados Unidos.

“A importância desse livro reside no fato de apresentar os feitos de um herói improvável. Desarmado, mas munido com fé e coragem, contrariando todas as expectativas de seus companheiros no campo de batalha, ele foi protagonista de um ato de bravura reconhecido pelo governo dos Estados Unidos com a Medalha de Honra do Congresso. Essa história continua impactando a vida de muitas pessoas tanto tempo depois”, Mendes ressalta. [Equipe RA, da redação]

Última atualização em 16 de outubro de 2017 por Márcio Tonetti.

Sobre Da redação

Da redação
Equipe RA

Veja Também

Método inovador

Universidade adventista investe em sistema digital para ensinar sobre anatomia humana.