Cristãos voltam a ter acesso à Bíblia em Cuba

1 minuto de leitura
Depois de quase 50 anos de proibição, regime comunista permite que os cubanos voltem a ter acesso à Bíblia
Por causa das quase cinco décadas de proibição do acesso à Bíblia, algumas igrejas têm apenas um ou dois exemplares das Escrituras para toda a congregação e muitos pregadores cubanos precisam dividir um mesmo exemplar para estudar e pregar. Realidade que deve mudar com a reabertura para a distribuição do livro sagrado no país comunista. Foto: reprodução The Joplin Globe
Por causa das quase cinco décadas de proibição do acesso à Bíblia, algumas igrejas têm apenas um ou dois exemplares das Escrituras para toda a congregação e muitos pregadores cubanos precisam dividir um mesmo exemplar para estudar e pregar. Realidade que deve mudar com a reabertura para a distribuição do livro sagrado no país comunista. Foto: reprodução The Joplin Globe
A histórica reaproximação dos Estados Unidos e Cuba vem abrindo caminho para que os cubanos voltem a ter acesso à Bíblia. Desde 1969, quando a distribuição das Escrituras foi abertamente proibida pelo regime comunista, até recentemente, os poucos exemplares disponíveis precisavam ser mantidos escondidos e com frequência eram apreendidos pelas autoridades locais. Na tentativa de levar literatura bíblica para o país, centenas de missionários foram presos ao longo dos últimos 50 anos.

Neste mês, no entanto, a International Missions Board (IMB) enviou 83 mil exemplares da Bíblia para a ilha caribenha. De acordo com David Isais, que faz parte da Comissão Bíblica de Cuba (CBC), 250 mil bíblias devem chegar ao país ainda neste ano. Mas esse número é insuficiente para atender o pedido de um milhão de exemplares feito por pastores locais.

A abertura histórica para a distribuição de Bíblias, conforme explica Isais, parte de um programa experimental do governo. Ele observa, contudo, que a medida pode ser interrompida a qualquer momento se o governo entender que a distribuição está “criando muitos problemas”.

A Comissão Bíblica de Cuba, que serve como ponte entre o governo e as igrejas há mais de seis décadas, foi autorizada temporariamente a colocar Bíblias não apenas nas igrejas, mas também em escolas, prisões e bibliotecas. Trata-se de uma grande conquista, na opinião de David Isaias, que pode reaproximar os cubanos da fé e promover um reavivamento espiritual no país.

Segundo dados extraoficiais, existem cerca de 1,2 mil igrejas evangélicas em Cuba e esse público vem crescendo, apesar de o regime comunista dos irmãos Castro proibir a abertura de templos “não registrados”. [Com informações do Gospel Prime, CBN e The Joplin Globe]

Última atualização em 16 de outubro de 2017 por Márcio Tonetti.

Sobre Da redação

Da redação
Equipe RA

Veja Também

Método inovador

Universidade adventista investe em sistema digital para ensinar sobre anatomia humana.