Atenção

Nova Enciclopédia Adventista

2 minutos de leitura
Conselho editorial dá os primeiros passos na produção da obra que será disponibilizada nas versões impressa e digital
Conselho editorial se reuniu para dar os primeiros passos na elaboração da nova Enciclopédia Adventista. Créditos da imagem: Adventist Review
Nova Enciclopédia Adventista deve ficar pronta em cinco anos. Mas versão digital começará a ser disponibilizada a partir de 2017. Créditos da imagem: Adventist Review

Alguns meses depois de ter sido votada durante a assembleia da Associação Geral de San Antonio, no Texas (EUA), a nova Enciclopédia Adventista – uma série de livros de peso, com nomes, instituições e fatos do adventismo – começa a sair do papel. Na semana passada, 26 membros do comitê editorial responsável pelo projeto se reuniram na sede mundial da igreja, em Silver Spring, Maryland (EUA), para ajustar a visão e os objetivos da proposta.

A produção da enciclopédia receberá um investimento de aproximadamente 1,6 milhão de dólares e deve ser concluída dentro de um período de cinco anos. Segundo David Trim, editor da obra e diretor do Departamento de Arquivos, Estatísticas e Pesquisas da Associação Geral, o plano é que esse imenso projeto tenha a colaboração de autores, editores, professores, membros de instituições e organizações da igreja ao redor do mundo. Além de ser abrangente ao máximo, a nova enciclopédia nascerá com o intuito de se tornar a fonte mais confiável na pesquisa de temas relacionados aos adventistas.

Versão digital

Diferente da primeira, publicada em 1966, ela também terá uma versão on-line. Cerca de 15 a 20 mil artigos deverão ser disponibilizados na web a partir de 2017. Porém, a enciclopédia estreará oficialmente na assembleia da Associação Geral de 2020.

De acordo com David Trim, as possibilidades do mundo tecnológico estão dando ao projeto uma dimensão maior do que a que foi imaginada inicialmente.

Primeiras definições

Nova enciclopedia adventista - creditos da imagem Adventist Review - foto 2
Conselho editorial se reuniu para dar os primeiros passos na elaboração da nova Enciclopédia Adventista. Créditos da imagem: Adventist Review

A comissão editorial, constituída por historiadores e representantes das 13 Divisões da Igreja Adventista, dedicou várias horas para definir a lista de temas para a enciclopédia e escolhendo quais artigos da edição passada irão permanecer. Ao fim de três dias de trabalho, a comissão decidiu que todas as biografias e a maioria dos artigos terão novas versões. Além disso, também haverá necessidade de atualizar datas e dados de alguns verbetes sobre entidades administrativas. A estimativa é que noventa por cento do conteúdo passe por modificações.

Como será a publicação dos artigos on-line

Seguindo sugestões apresentadas em 2010 pelas revistas Adventist Review e Adventist World referentes à criação de uma plataforma semelhante à Wikipédia, a versão digital será alimentada por um sistema de crowdsourcing (modelo de produção coletiva). No entanto, diferente da popular enciclopédia virtual , a plataforma adventista pretende ser mais criteriosa na publicação das informações.

Benjamin Baker, membro do conselho editorial, explica que a ideia é convidar especialistas para escrever sobre alguns temas. Nesses casos, o prazo para a produção dos conteúdos pautados será de seis meses a um ano.

Ele observa que, antes de ser disponibilizados livremente para o público na internet, os textos irão passar pela equipe de editores e revisores e retornarão para os autores com as devidas correções ou adaptações solicitadas.

Baker destaca ainda que esse processo de envio, recebimento e autorização dos artigos para publicação serão feitos por meio de um sistema criado especialmente para o gerenciamento dos conteúdos da enciclopédia digital, o que otimizará o processo. [Daniela Fernandes / Com informações de Andrew McChesney, da Adventist Review]

Última atualização em 16 de outubro de 2017 por Márcio Tonetti.

Sobre Da redação

Da redação
Equipe RA

Veja Também

Nem só de pão

Os benefícios do jejum, que vão além dos aspectos espirituais e físicos, precisam ser redescobertos e reivindicados pelos cristãos.