Resoluções para 2022

3 minutos de leitura

Como fazer boas escolhas que perdurem o ano todo

Wellington Barbosa

O início de um novo ciclo, como o que vivemos agora com a chegada de 2022, costuma despertar profundas reflexões. Inevitavelmente, somos levados a pensar sobre prioridades, sonhos e planos para os 365 dias que estão diante de nós. É nesse contexto que muitos tomam decisões importantes, que impactam as áreas espiritual, física, emocional, relacional e profissional da vida. Porém, o que fazer para que suas resoluções sejam
acertadas e duradouras?

BUSQUE A SABEDORIA DE DEUS

Antes de tomar decisões, ore ao Senhor pedindo discernimento. Segundo a Bíblia, Deus está disposto a nos conceder generosamente muita sabedoria (Tg 1:5). E Ele comunica Sua vontade para nossa vida de várias maneiras: por intermédio de Sua Palavra, da consciência, de amigos espiritualmente maduros e também de situações cotidianas. Por isso, precisamos ter sensibilidade espiritual, fruto da comunhão com Ele, para ouvir Sua voz e seguir o melhor caminho.

APRENDA COM AS DECISÕES ANTERIORES

As lições dos erros e acertos do passado são recursos valiosos no processo de fazer escolhas futuras, mas isso nem sempre é valorizado. Por isso, retome a lista de resoluções do ano anterior e observe no que foi bem-sucedido e no que fracassou. Procure compreender o que gerou esses resultados e identifique três tipos de resoluções: (1) o que deu certo e deve continuar sendo feito; (2) o que deu errado e deve ser abandonado; e (3) o que deu errado, mas deve ser refeito. Isso ajudará você a direcionar seus esforços a partir de processos já em andamento, evitando desperdício de tempo e recursos, e maximizando os resultados.

NÃO SE PRECIPITE

“A pressa é inimiga da perfeição”, diz o ditado popular. A pessoa impaciente, irrefletida, tende a tomar decisões equivocadas, que causam sofrimento a si e àqueles ao seu redor. Portanto, tenha calma ao fazer escolhas e traçar planos para o futuro e evite decidir sob pressão. Avalie cada resolução à luz de algumas perguntas-chave: O quê? Quando? Como? Quanto? Pontos positivos e negativos? Oportunidades e ameaças? Possíveis resultados? Escreva as respostas e analise friamente cada elemento identificado. Isso lhe permitirá ter uma visão mais precisa a respeito de quais objetivos devem ser perseguidos e de como poderão ser alcançados.

COMPARTILHE SUAS RESOLUÇÕES

Salomão escreveu: “Sem conselhos os projetos fracassam, mas com muitos conselheiros há sucesso” (Pv 15:22). Não tome decisões importantes sem compartilhá-las com alguém espiritualmente maduro e de sua confiança. Pode ser o cônjuge, o pai, a mãe, um líder da igreja ou amigo leal. Ouça as ponderações com atenção e sem apego às suas ideias. A partir do diálogo, você poderá descobrir outros caminhos a seguir ou ainda formas mais efetivas para alcançar seus objetivos.

AVANCE COM DISPOSIÇÃO

Depois de ouvir a voz divina, considerar as lições do passado, estabelecer as resoluções com calma e dialogar a respeito delas com alguém espiritualmente maduro, faça o que deve ser feito. À semelhança do apóstolo Paulo, não fique preso ao passado, mas prossiga para o alvo (Fp 3:13, 14). Com a bênção de Deus e seus esforços, certamente as resoluções sairão do papel e transformarão sua vida neste ano novo.

WELLINGTON BARBOSA é pastor e editor da revista Ministério

Sobre Da Redação

Da Redação
Equipe da Revista Adventista

Veja Também

Reconhecimento

1 minuto de leitura Crédito da imagem: Reprodução da revista Time Um menino adventista de …