Atenção

IASD presta condolências às famílias das vítimas de atentado em Paris

1 minuto de leitura

Carta foi enviada pelo Departamento de Relações Públicas e Liberdade Religiosa da sede mundial da Igreja Adventista à embaixada da França em Washington

Igreja-Adventista-presta-condolencias_as-vitimas-de-ataque-terrorista-em-Paris-site-RAPor meio de uma carta encaminhada pelo Departamento de Relações Públicas e Liberdade Religiosa à embaixada da França em Washington, a sede mundial da Igreja Adventista do Sétimo Dia prestou condolências às famílias das vítimas do ataque terrorista à redação da revista semanal Charlie Hebdo.

“Em nome da Igreja Adventista do Sétimo Dia e seu presidente, permita-me transmitir a nossa mais profunda simpatia em relação com o atentado terrorista contra o escritório de Charlie Hebdo em Paris, em 07 de janeiro”, expressou Graz ao embaixador francês Gérard Araud. “Unimo-nos na dor das famílias das vítimas. Oramos por eles e por aqueles que ficaram gravemente feridos. Oramos também pela bela nação francesa, que amamos; por seu povo; e por vossa excelência que a representa nos Estados Unidos”, reiterou.

No texto, o diretor do departamento, John Graz, também elogiou o governo francês por proteger a liberdade religiosa. A carta observou que os adventistas têm sido defensores da liberdade de consciência e de religião e ressaltou que essas liberdades formam a base de todas as demais, incluindo a liberdade de expressão.

Sobre o caso

Na última quarta-feira, 7 de janeiro, três homens armados abriram fogo no escritório da revista Charlie Hebdo, matando o editor e principais cartunistas. A revista tinha sido denunciada por fundamentalistas muçulmanos por publicar representações cômicas do profeta Maomé. [Fonte: ANN]

Leia também:

Especialistas analisam questão religiosa e comunicacional de atentados na França

Última atualização em 16 de outubro de 2017 por Márcio Tonetti.

Sobre Da redação

Da redação
Equipe RA

Veja Também

Nem só de pão

Os benefícios do jejum, que vão além dos aspectos espirituais e físicos, precisam ser redescobertos e reivindicados pelos cristãos.