Atenção

Diário de bordo

2 minutos de leitura
Página especial mostra como foi a viagem de um grupo de pesquisadores e educadores adventistas às “ilhas de Darwin”

O arquipélago de Galápagos, localizado na costa do Equador, é o tema da reportagem de capa da edição de setembro da Revista Adventista. O enviado especial Michelson Borges mostra o que o naturalista inglês Charles Darwin não viu ao visitar as ilhas há 180 anos. O pastor e jornalista fez parte da expedição de um grupo de cem pesquisadores e educadores adventistas à região que, em breve, deve ganhar um centro de estudos criacionistas.

Além de produzir a reportagem publicada na edição impressa, Michelson Borges escreveu um diário de viagem exclusivo para a versão digital da revista. O conteúdo está disponível no espaço RA +. Clique na imagem para acessar a página.

Expedição-Galápagos

Saiba +

AS LENTES DE DARWIN

Descubra quais foram as principais ideias que influenciaram o naturalista britânico antes de ele se tornar o “pai do evolucionismo”.

  • IluminismoNascido em 1809, Charles Darwin cresceu numa Inglaterra em ebulição. Marcada pelos ideais iluministas, a sociedade da época era receptiva a novas ideias no campo das ciências naturais e mesmo da teologia.

 

  • Avós-de-Darwin-2Na infância, recebeu influência do avô Erasmus Darwin, para quem a razão era divina e o progresso era seu profeta, e Josiah Wedgwood, um cristão unitarista cheio de dúvidas.

 

 

 

  • Universidade de EdimburgoComo estudante de Medicina na Universidade de Edimburgo, o naturalista britânico teve contato com os Plinianos, grupo que pretendia reformar a sociedade dominada pela igreja. Isso deve ter afetado a mente do garoto de 17 anos.

 

  • william-browneNesse novo mundo estudantil, acompanhou discussões sobre ciência e posições contrárias sobre tudo, inclusive de William Browne, que “não via diferença entre o homem e os animais”.

 

  • V0002372 Robert Edmond Grant. Lithograph by T. H. Maguire, 1852. Credit: Wellcome Library, London. Wellcome Images images@wellcome.ac.uk http://wellcomeimages.org Robert Edmond Grant. Lithograph by T. H. Maguire, 1852. 1852 By: Thomas Herbert MaguirePublished: - Copyrighted work available under Creative Commons Attribution only licence CC BY 4.0 http://creativecommons.org/licenses/by/4.0/Entre todos os seus mentores em Edimburgo, destacou-se Robert Grant, especialista em esponjas e evolucionista. Nada era sagrado para Grant. Com seu humor mordaz, não perdoava nem mesmo as Escrituras. Seu pensamento moldaria a abordagem inicial de Darwin sobre a evolução.

 

  • Livro Priciples of GeologyDe todos os livros que exerceram grande impacto sobre o jovem Darwin, a obra Principles of Geology foi a principal. Nela, Charles Lyell defendeu a ideia de que os fenômenos geológicos se processaram ao longo de vastos períodos de tempo, o que serviu “como uma luva” para a teoria de Darwin.

 

 

 

O QUE DARWIN NÃO VIU EM GALÁPAGOS

Charles Darwin-2Evidências de macroevolução – Darwin não as viu porque elas não existem. O que se pode ver nas Ilhas Galápagos – e em quase qualquer lugar do mundo – são evidências de adaptação, diversificação e, como alguns costumam dizer, “microevolução”. Só isso. As variações são limitadas e jamais poderiam ser utilizadas como argumento para justificar a ideia da macroevolução, segundo a qual todos os seres visos – de árvores a baleias – teriam se originado de um ancestral comum.

Evidências de design inteligente – Darwin não as viu porque, devido às influências naturalistas a que ele esteve submetido na juventude, acabou se recusando a ver a interferência de qualquer poder sobrenatural na natureza. Para os naturalistas, a vida simplesmente surge e vai se tornando mais complexa com o tempo. Nem precisa dizer que essa ideia é filosófica e contraria a ciência.

Evidências de complexidade irredutível – Darwin também não viu isso porque ele simplesmente não poderia ter visto, já que não possuía os meios para tanto. Nem microscópio adequado havia no tempo dele. E a biologia molecular e a bioquímica levariam um bom tempo para ser desenvolvidas.

Fontes: Darwin: A vida de um evolucionista atormentado (2009) e Michelson Borges / Fotos: Wikimedia

VEJA TAMBÉM

https://www.youtube.com/watch?v=PvSbst4yHpg

Última atualização em 16 de outubro de 2017 por Márcio Tonetti.

Sobre Márcio Tonetti

Avatar
Editor associado da Revista Adventista

Veja Também

Inteligência artificial

Como os “robôs” têm ajudado no atendimento à crescente demanda por estudos bíblicos durante a pandemia.