Herança africana

1 minuto de leitura
Moacir Caetano, membro da comunidade do Sertão do Valongo, no município de Porto Belo (SC)

A mão de obra escrava foi explorada no Brasil durante mais de 300 anos. Estima-se que, nesse período, mais de 5 milhões de africanos tenham sido trazidos para o país e submetidos ao trabalho forçado e condições desumanas. Por causa disso, surgiram centenas de quilombos, locais que ofereciam refúgio e liberdade. Eles deram origem ao que hoje se conhece como quilombolas, comunidades formadas por descendentes de escravos. Há várias espalhadas pelo Brasil e, uma delas, que encontramos no Sul do país, é adventista. Quer saber como a nossa mensagem chegou nesse lugar e conhecer a história dessa comunidade quilombola? Então confira a reportagem

https://vimeo.com/32803648

Última atualização em 29 de agosto de 2019 por Márcio Tonetti.

Sobre Márcio Tonetti

Avatar
Editor associado da Revista Adventista

Veja Também

Os efeitos colaterais da cultura da pressa

A velocidade das novas tecnologias acelerou significativamente nosso ritmo de vida, mas precisamos repensar essa lógica.