Mudanças na CPB

4 minutos de leitura

Diretor-geral da maior editora adventista sai em meio a um ciclo de crescimento e estabilidade

Marcos De Benedicto

No dia 5 de novembro do ano 2000, José Carlos de Lima estava à beira de um lago da Casa Publicadora Brasileira (CPB) quando recebeu o aviso de que deveria ligar para o presidente da Divisão Sul-Americana, pastor Ruy Nagel. Foi surpreendido pela notícia de que a Comissão de Nomeações da organização, reunida em Foz do Iguaçu (PR), estava indicando o nome dele para ser o novo diretor-geral da editora da Igreja Adventista no Brasil. Ele assumiria oficialmente o cargo no dia 7. No dia 4 de novembro de 2021, quase exatos 21 anos depois, chegou o momento de uma nova transição. O pastor Lima já havia sinalizado à liderança da igreja na América do Sul que pretendia se aposentar. E o nome escolhido para a função foi Edson Erthal de Medeiros (veja aqui).

Na manhã de hoje, o diretor comunicou aos gerentes e depois ao corpo de servidores da instituição sua decisão de se aposentar. O clima, como era de se esperar, foi marcado por emoção. Afinal, ele teve uma atuação marcante na trajetória e no crescimento da editora centenária. Assumindo a direção da CPB numa fase de ajustes, apoiado por uma equipe gerencial unida e funcionários qualificados e dedicados, o pastor Lima ajudou a elevar a editora à posição de número um no total de servidores e faturamento entre as 61 editoras da igreja no mundo. A CPB é hoje uma das mais sólidas instituições da igreja na América do Sul. O compromisso dela com a missão é uma de suas bandeiras. Por isso, já ajudou a construir mais de 50 igrejas nos últimos anos. Esse sucesso é sempre atribuído à bênção de Deus aliada ao esforço humano.

Nascido em 1955 na cidade de Loanda (PR), filho de Agenor Lima e Clari Soares de Lima, José Carlos iniciou suas atividades na editora em julho de 1977 na função de auxiliar de acabamento, o setor que cuida da finalização e encadernação dos livros. Em 1º de janeiro de 1981, assumiu nova função no mesmo departamento. No ano seguinte, tornou-se oficial de acabamento gráfico. Numa carreira meteórica, pouco tempo depois passou a subchefe do setor. Em 1983, foi promovido a chefe do departamento de expedição. Em 1990, ocupou o cargo de gerente-assistente da área de vendas. Em 1º de janeiro de 1996, foi nomeado gerente de produção. Finalmente, em 7 de novembro de 2000, veio o maior desafio de sua vida, que exigiu muitas madrugadas em oração.

Graduado em Administração de Empresas, exigente com a qualidade, sempre buscando a excelência, o diretor trabalhou com dedicação para que a CPB se tornasse notória por sua limpeza e um modelo na qualidade de seus produtos. Durante sua gestão, grandes empreendimentos foram feitos, como a ampliação do parque gráfico, a compra de máquinas de vanguarda, a ampliação da rede de livrarias, a adoção dos materiais didáticos da editora no sistema educacional adventista e o lançamento de grandes obras, como o Comentário Bíblico Adventista. É claro que tudo isso foi conseguido em parceria com as organizações da igreja.

Ao surpreender os funcionários da CPB com o anúncio da sua decisão de parar, o pastor Lima relembrou sua trajetória na editora. Jovem, idealista, empreendedor, ele começou em um trabalho bem simples. Poderia ter desistido, uma vez que tinha uma carreira promissora em sua cidade. Mas perseverou. “Deus me deu muito mais em realização e utilidade do que eu poderia sonhar, ainda que tivesse ficado rico lá fora”, ele confidenciou. “A igreja não me deve nada, eu devo tudo a Deus e à igreja.”

Os momentos de despedida foram marcados também pela presença dos familiares, aos quais ele agradeceu o apoio durante essa jornada de serviço à igreja: a esposa, professora Doris Barrinuevo Martins de Lima, as filhas Juliana e Gisele, o genro Henrique, o netinho Teodoro e a sogra, Lourdes. “Ele é um homem íntegro, leal, dedicado, honesto, caprichoso em tudo o que põe a mão. Servo de Deus!”, declara a esposa.

A pedido da igreja, o pastor Lima continuará na editora até julho de 2022, por ocasião da assembleia da Associação Geral, na função de conselheiro. Na edição de dezembro a Revista Adventista publicará uma matéria mais ampla sobre o legado do líder.

MARCOS DE BENEDICTO é editor-chefe da CPB

VEJA MAIS IMAGENS

Última atualização em 5 de novembro de 2021 por Márcio Tonetti.

Sobre Marcos De Benedicto

Marcos De Benedicto
Editor da Revista Adventista

Veja Também

Ideologia da paz

O evangelho é o caminho para desarmar a igreja e a sociedade.